sábado, 2 de abril de 2011

ENERGIA LIMPA

EM DEFESA DE NOSSO NIÓBIO
Metal precioso que permite dominarmos o fogo germonuclear, dispensando até o uso das usinas atômicas que colocam em risco a vida no planeta



(*) Luiz Salvador

O Brasil é detentor da maior reserva mundial desse metal precioso, um poderoso condutor, será usado para construir molas -(bobinas)- gigantes e gerar um campo magnético para conduzir o processo de fusão nuclear dentro do reator...

Com este magnífico feito o homem passará a dominar também o fogo termonuclear, aquele que ocorre no interior das estrelas pela fusão de átomos de hidrogênio a uma temperatura de 15 milhões de graus centígrados, gerando hélio e uma brutal quantidade de energia limpa, barata e inesgotável, pois, o trítio isótopo pesado do hidrogênio usado como combustível é abundante na face
da Terra na forma de água pesada.

Assim, as usinas termonucleares limpas e muito mais seguras que as nucleares, geradoras de energia farta e barata, se multiplicarão sem restrições pelo planeta exigindo milhares de toneladas de nióbio puro para manter o fogo solar aceso.

(*) Luiz Salvador é advogado trabalhista e previdenciarista em Curitiba-Pr, Ex-Presidente da ABRAT (www.abrat.adv.br), Presidente da ALAL (www.alal.com.br), Representante Brasileiro no Depto. de Saúde do Trabalhador da JUTRA (www.jutra.org), assessor jurídico de entidades de trabalhadores, membro integrante, do corpo técnico do Diap, do corpo de jurados do TILS – Tribunal Internacional de Liberdade Sindical (México), da Comissão Nacional de Relações internacionais do CF da OAB Nacional e da Comissão de “juristas” responsável pela elaboração de propostas de aprimoramento e modernização da legislação trabalhista instituídas pelas Portarias-MJ 840, 1.787, 2.522/08 E 3105/09, E-mail: luizsalv@terra.com.br, site: www.defesadotrabalhador.com.br

Leia mais sobre esse metal que se protegido pelos nossos governantes nos gerará recursos superiores até ao anunciado pré-sal.

REENVIANDO

Jazida de nióbio é licitada na Amazônia - Maura Campalini
• Publicado por Robson José Cõgo em 23 dezembro 2009 às 14:14 em Temas de Sustentabilidade
Jazida de nióbio é licitada na Amazônia
Maura Campanili

A Companhia de Pesquisas e Recursos Minerais (CPRM), ligada ao Ministério das Minas e Energia, encerra dia 16 de outubro a licitação de maior jazida de nióbio do mundo, com cerca de 2,9 bilhões de toneladas, minério utilizado em produtos sujeitos a altas e baixas temperaturas, como aviões e foguetes.

A jazida fica em São Gabriel da Cachoeira, a 858 quilômetros de Manaus, na região dos Seis Lagos. A CPRM aparentemente ignora que o local é duplamente área de proteção ambiental: está dentro do Parque Nacional do Pico da Neblina e da Reserva Biológica Estadual do Morro dos Seis Lagos.

Segundo Ubiracy Araújo, procurador geral do Ibama encarregado de analisar o caso, foram enviados dois ofícios à CPRM solicitando a localização exata da área licitada. Não houve resposta. Araújo acredita, porém, que é quase impossível que ela esteja fora do Parque Nacional, "onde é proibido qualquer tipo de exploração dos recursos naturais". O procurador disse que enviou seu parecer para o superintendente do Ibama no Amazonas e para a Diretoria de Ecossistemas, responsável pelos parques nacionais. Sua recomendação, caso seja confirmada a localização, é que a licitação seja cancelada.

O presidente do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipam), Vicente Nogueira, já avisou, em nota distribuída à imprensa local, que, embora não tenha sido consultado oficialmente, não dará autorização para exploração mineral na área.


Segundo o jurista Carlos Frederico Marés de Souza Filho, a exploração mineral pode até ser permitida dentro de Parques Nacionais, mas somente em casos muito particulares, quando o zoneamento do parque assim determinar. Enquanto não houver zoneamento, como é o caso do Parque Nacional da Neblina, qualquer atividade é terminantemente proibida. O local onde está a jazida é considerado uma das áreas mais belas da região. A ocorrência de diversos minerais no Morro dos Seis Lagos faz com que cada um deles tenha uma cor diferente, com várias tonalidades de verde e azul.

Viabilidade
Segundo dados da CPRM, o Brasil é o maior produtor de nióbio do mundo. Sua produção atual é de cerca de 22 mil toneladas de óxido de nióbio por ano. Desse total, 15% é consumido pelo mercado brasileiro, enquanto os 85% restantes são exportados. Quem controla este mercado é a Companhia Brasileira de Mineração e Metalurgia (CBMM), cuja mina, em Araxá (MG), responde por 80% da produção mundial do minério e tem nióbio suficiente para abastecer o mercado por um milênio. A outra grande produtora fica em Goiás. Canadá e Estados Unidos subsidiam, por interesse estratégico, outras duas minas de baixíssima produtividade.

Todos estes fatores, somados à dificuldade de acesso ao local, em plena floresta e perto da fronteira com a Venezuela, e ao fato do minério estar associado a outros, o que exigirá tecnologia avançada para exploração, parecem indicar a pouca viabilidade econômica de qualquer empreendimento em Seis Lagos.

No entanto, cinco empresas enviaram propostas à CPRM: a própria CBMM; a Rio Tinto Desenvolvimento Mineral Ltda (RTZ), originária da África do Sul, com filial em Brasília; a UGM - Serviços Técnicos Ltda, ligada à Minorco South América; as Organizações SR S/A, pertencentes ao grupo do Banco Rural; e a Companhia Industrial Fluminense (que entrou atrasada na licitação e não participou da visitação da área, que as outras quatro realizaram).


O local onde está a jazida é considerado uma das áreas mais belas da região.
Terras raras
Segundo Antônio Juarez Martins, diretor de Geologia e Recursos Minerais da CPRM, "o grande interesse das empresas pela jazida é a ocorrência de outros minerais associados ao nióbio, principalmente as chamadas terras raras, sobretudo dos grupos do ítrio e do europio, utilizados na indústria eletrônica". Martins afirma que a quantidade desses outros minérios não está quantificada e que a licitação foi feita para medir a reação do mercado - que parece ter sido ótima. Os interessados deverão pagar R$ 600 mil de prêmio à CBMM e um royaltie mínimo de 3%. Ganha quem oferecer a maior porcentagem.

Realmente, as terras raras - e até, quem sabe o ouro, encontrado em regiões próximas - parecem ser mais interessantes do que o nióbio. Com exceção da CBMM, que pode estar participando para evitar que outros entrem no mercado, se o vencedor conseguir explorar a jazida de Seis Lagos, o preço desse minério pode despencar a valores muito baixos, segundo artigo do geólogo Jorge Garcez Teixeira, no jornal A Crítica, de Manaus.

O fato da jazida estar em um local de preservação permanente é encarado pela CBMM apenas como um fator de dificuldade, já que o empreendedor deverá ter um EIA-RIMA. "Mas a mineração tem a vantagem de ser pontual. Carajás, de avião, é uma bolinha, enquanto uma fazenda de gado ou a atividade madeireira destróem milhares de hectares. Bem controlada, a mineração pode ser menos danosa ao meio ambiente", defende Martins

Link: http://www.movmarina.com.br/forum/topics/jazida-de-niobio-e-licitada-na

ASSUNTO: O PREÇO DO NIÓBIO, QUEM CONTROLA?
Boa novidade. Apenas uma ressalva (que precisa ser feita): a reserva de MG - em ARAXÁ - não é a maior do mundo. A maior está lá em São Gabriel da Cachoeira/AM (Morros dos 6 lagos). ARAXÁ é a maior mina - reserva em exploração, mas não a maior reserva das existentes. É insignificante perante os 2,9 bilhões de ton dos "6 Lagos". Uma riqueza imensa, incalculável para os dias de hoje e os do futuro. O Nióbio é imprescindível para a indústria de hoje (do Ar, do Mar, da Terra). O Petróleo teria substitutos; o Nióbio, até agora, não. E o Brasil é detentor de 93,4% das reservas mundiais de Nióbio! Imagine-se só! Daí se pode imaginar como seria uma comparação entre o Nióbio e o PRÉ-SAL Ou BRASIL rico! Em que os nossos governantes não acreditam, nem nada fazem para defendê-lo. Lá está a AMAZÔNIA ameaçada, agora mais que nunca principalmente por causa do Nióbio. E as FFAA desvalidas, empregadas em missões subsidiárias, sem efetivos e sem armamento apropriado para fazer face àquela ameaça. O BRASIL espera que o Governo cumpra a sua missão constitucional, inclusive para que as FFAA cumpram as suas. Uma sugestão, se alguém vai querer levar a sério esse assunto: é preciso ouvir o Almte RRm ROBERTO GAMA E SILVA (Tenho endereços, inclusive o eletrônico). Gen Bda Ref LUCIANO SALGADO
O PREÇO DO NIÓBIO, QUEM CONTROLA? A TRANSNACIONAL DE BEERS LTD, "INGLESA", MAIOR PRODUTORA DE DIAMANTES DO MUNDO, é DE PROPRIEDADE DA ANGLO AMERICAN (45%), DA FAMíLIA OPPENHEIMER (40)
E DO "GOVERNO" DE BOTSUANA (15%). ELA CONTROLA, COM MãO DE FERRO, A PRODUçãO, A DISTRIBUIçãO E A VENDA NO ATACADO DE QUASE TODO DIAMENTE PRODUZIDO NO MUNDO. CANADA, AFRICA DO SUL, NAMIBIA, ETC. NO BRASIL, DE BEERS DIAMANTES IND DO BRASIL LTDA - CERQUEIRA CéSAR. NA VERDADE O DIAMANTE NãO é TãO RARO COMO SE FAZ PENSAR, MAS PARA MANTER SEU PREçO ARTIFICIALMENTE ELEVADO, ISTO é, MAIS DO QUE REALMENTE ELE VALE, é VENDIDO EM LOTES MUITO BEM CALCULADOS, EM QUANTIDADE E QUALIDADE, PARA UM EXCLUSIVíSSIMO GRUPO DE ELEITOS. O DIAMANTE Só GANHA VALOR DEPOIS QUE CHEGA A LONDRES E DEPOIS A ANTUéRPIA, ISRAEL, NOVA IORQUE, ETC. O DIAMANTE NATURAL PARA JOALHERIA é UM BEM SUPERFULO, NãO TEM VALOR INTRíNSECO, AO CONTRáRIO DO NIóBIO QUE O TEM, ENTRETANTO, MESMO EM FUNçãO DA SUA RARIDADE E VALOR NãO RECEBE O MESMO TRATAMENTO DADO AO DIAMANTE PELA DE BEERS LTD POR PARTE DO GOVERNO BRASILEIRO, QUE SE NãO FOSSE CORRUPTO LIDERARIA SOZINHO A OPEN - ORGANIZAçãO DOS PRODUTORES E EXPORTADORES DE NIóBIO , ORGANIZAçãO PROPOSTA PELO ALMIRANTE ROBERTO GAMA E SILVA. POR QUE? PARA BELLUM Ronaldo Schlichting

A maior aplicação do nióbio esta no por vir.

RONALDO SCHLICHTING 05/03/2008 22:32

A maior aplicação do nióbio esta no por vir, por isso, urge a transferência da maior quantidade possivel do metal, a preço de esterco, para o exterior.
O jornal _Folha de S.Paulo_ de 28/06/05, publicou: Delegação da Comissão Européia pode visitar o Brasil em breve para estudar alternativas de inclusão no projeto (ITER). O BRASIL PODE SE ENVOLVER COM O PROJETO ITER - REATOR EXPERIMENTAL TERMONUCLEAR INTERNACIONAL. A participação brasileira seria graças à reserva de nióbio localizada em Minas Gerais... A maior do mundo... O metal, um poderoso condutor, será usado para construir molas -(bobinas)- gigantes e gerar um campo magnético para conduzir o processo de fusão nuclear dentro do reator...
Com este magnífico feito o homem passará a dominar também o fogo termonuclear, aquele que ocorre no interior das estrelas pela fusão de átomos de hidrogênio a uma temperatura de 15 milhões de graus centígrados, gerando hélio e uma brutal quantidade de energia limpa, barata e inesgotável, pois, o trítio isótopo pesado do hidrogênio usado como combustível é abundante na face
da Terra na forma de água pesada.
Assim, as usinas termonucleares limpas e muito mais seguras que as nucleares, geradoras de energia farta e barata, se multiplicarão sem restrições pelo planeta exigindo milhares de toneladas de nióbio puro para manter o fogo solar aceso.
Por isso, a partir de agora os Ministérios da Fazenda, de Minas e Energia, da Indústria e Comércio e a Polícia Federal terão, por dever de oficio, que cuidar das nossa reservas de nióbio a ferro e fogo porque o preço de metal, num futuro próximo, deverá ir ao espaço na bolsa de metais de Londres.

PREZADOS COMPATRIOTAS

COM O PATRIOTICO OBJETIVO DE AJUDAR A PRESIDêNCIA DA REPúBLICA RESOLVER A GRAVíSSIMA SITUAçãO FISCAL/ORçAMENTáRIA/FINANCEIRA DO ESTADO E QUE COMPROMETE PERIGOSAMENTE A SUA ESTABILIDADE SOCIAL E A SUA SEGURANçA INTERNA E EXTERNA, PEDIMOS UM MíSERO REAL A CADA CIDADãO BRASILEIRO PARA FINANCIAR UMA CAMPANHA CíVICA A FIM DE DEMONSTRAR AO CONGRESSO NACIONAL QUE AO INVES DE SE CRIAR UMA NOVA CPMF E MAIS IMPOSTOS COMO QUER AGORA O MINISTéRIO DA FAZENDA, O NIóBIO E TODOS OS OUTROS METáIS RAROS PRODUZIDOS PELO BRASIL SE EXPLORADOS, COMERCIALIZADOS E TAXADOS CORRETAMENTE GERARIAM RECURSOS MAIS DO QUE SUFICENTES PARA FINANCIAR E SUSTENTAR:

1) A SAúDE.

2) A PREVIDÊNCIA SOCIAL.

3) A COMPRA DOS Caças.

4) O PROJETO DO SUBMARINO NUCLEAR.

5) O REEQUIPAMENTO DO EXERCITO BRASILEIRO.

6) O PROGRAMA ESPACIAL Próprio BRASILEIRO.

7) A Educação.

8) A INFRAESTRUTURA.

9) E TUDO O MAIS QUE FOSSE NECESSáRIO.

10) COM A Redução DOS IMPOSTOS.

COMO?

ENVIANDO à DIREçãO DOS PRINCIPAIS JORNAIS DO PAIS A QUANTIA DE R$ 1,00 PARA QUE OS MESMOS SE DIGNEM A COLOCAR O TEMA "NIÓBIO PARA O BEM DO BRASIL" NAS PRIMEIRAS PáGINAS DE SEUS PERIóDICOS, POIS, Só ASSIM OS SRS. PARLAMENTARES CRIARIAM CORAGEM PARA REDIGIR E VOTAR A " LEI DO NIÓBIO E METÁIS RAROS" QUE REGULAMENTARIA A EXPLORAçãO, FISCALIZAçãO, COMERCIALIZAçãO, PREçOS, IMPOSTOS E A SEGURANçA DAS RESERVAS ESTRATéGICAS BRASILEIRAS. (??)

Postado por AVANÇO_SOCIAL às 07:51

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário